UM OLHAR DA MARGEM: a ética da estética em Lima Barreto, análise da crônica “as enchentes” à luz da sociologia compreensiva

Marília Köenig

Resumo


O presente artigo tem como objetivo destacar a estética inerente à obra ‘marginal’ do escritor e jornalista carioca pré-modernista Lima Barreto (1890-1922), especificamente por meio da crônica “As enchentes”, a qual compõe a coletânea “Vida Urbana” (1956), por meio da Sociologia Compreensiva. O objetivo é perceber de que modo a motivação da estética dissonante de seu trabalho o conecta ao pensamento de Michel Maffesoli, justamente pelo conceito de ética da estética (2005; 2010). Como objetivos específicos têm-se: perceber e apontar o diálogo da obra de LB com autores que tratam da modernidade e seus efeitos negativos, bem como da modernidade tardia ou pós-modernidade, do imaginário social e da nação, como Maffesoli (2005; 2007; 2010), Silva (2006), Hall (2006) e Anderson (2005), respectivamente.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e expansão do nacionalismo. Edições 70: Lisboa, 2005.

BARBOSA, Francisco de Assis. A vida de Lima Barreto: 1881-1922. 6. ed. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1981.

BARRETO, Lima. Recordações do escrivão Isaías Caminha. Disponível em . Acesso em 25 nov. 2012.

______. Vida urbana. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/pesquisa/DetalheObraForm.do?select_action=&co_obra=2171. Acesso em 21 abr. 2014.

BOURDIEU, Pierre. As regras da arte. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

COSTA, Cristiane. Pena de aluguel: escritores jornalistas no Brasil – 1904-2004. São Paulo: Companhia das Letras, 2005.

FREITAS, Celi Silva. Entre a Vila Quilombo e a Avenida Central: a dupla exterioridade em Lima Barreto. Dissertação de Mestrado. Rio de Janeiro, UERJ, 2002. Disponível em: http://www1.capes.gov.br/teses/pt/2002_mest_uerj_Celi_Silva_Gomes_de_Freitas.pdf. Acesso em 21 nov. 2014.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva e Guaracira Lopes Louro. 11 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2006.

LEGROS, Patrick, et al. Sociologia do imaginário. Tradução de Eduardo Portanova Barros. Porto Alegre: Sulina, 2007.

MAFFESOLI, Michel. No fundo das aparências. Tradução de Bertha Halpern Gurovitz. 3ª edição. Editora Vozes, Petrópolis 2005.

______. O conhecimento comum. Tradução de Aluizio R. Trinta. Coleção Imaginário Cotidiano. Porto Alegre: Sulina, 2010;

______. O ritmo da vida: variações sobre o imaginário pós-moderno. Tradução de Clóvis Marques. Rio de Janeiro: Record, 2007.

MARTINO, Luiz Mauro Sá. Estética da comunicação. São Paulo: Vozes, 1997.

MELO, Joachin. Uma outra face da Belle Époque carioca: o cotidiano nos subúrbios nas crônicas de Lima Barreto. Dissertação de Mestrado. Disponível em: http://www.ufcg.edu.br/~historia/ppgh/images/dissertacoes_defendidas/2008/joachin%20melo.pdf. Acesso em 20 nov. 2014.

MICELI, Sergio. Intelectuais à brasileira. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

MORAES, Heloisa Juncklaus Preis. A descoberta e a vivência do virtual: experiências infantis. Florianópolis: DIOESC, 2012.

RIBEIRO, Gustavo Lins. Macunaíma: ser ou não ser, eis a questão. In: Cultura e política no mundo contemporâneo. Brasília: UnB, 2000.

SILVA, Juremir Machado da. Tecnologias do imaginário. Porto Alegre: Sulina, 2006.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.