As Principais Despesas Atribuídas a um Processo Seletivo Ineficiente

Romário Machado Ferreira, Léo Martins Sampaio, Eraldo Teixeira da Silva

Resumo


O presente estudo tem como objetivo analisar o custo da ineficiência dos processos seletivos nas pequenas e médias empresas da região de Ubá-MG e quais as principais ações podem ser realizadas para minimizar esse problema, refletindo em melhores resultados. A pesquisa fundamentou-se na aplicação de um questionário semiestruturado. O público alvo do estudo foi formado por 7 profissionais que coordenam às áreas de recursos humanos de empresas de pequeno e médio porte, estes ocupam níveis de cargos diferentes em suas respectivas empresas. Os resultados demonstram que negligenciar os processos de recrutamento e seleção acarretam expressivos custos para as organizações, dos entrevistados 10% informaram que o principal custo é treinar o funcionário substituto, 2% adaptar o novo funcionário as políticas da empresa, afirmaram que ocorre uma queda na produtividade 7%, apontaram o retrabalho 7% da população entrevistada, 10% alto índice de turn over, 31% referem-se as despesas da rescisões de trabalho, 7% responderam ser a taxa de conflitos devido à falta de interesse e motivação sobre a empresa e 26% acreditam ser o alto índice de absenteísmo.  Pode-se concluir que uma gestão adequada dos processos seletivos pode ser uma solução estratégica para as empresas posicionarem de forma sustentável e competitiva no mercado, refletindo em prestação de serviço de qualidade através de um quadro de pessoal que atenda às necessidades da empresa.


Palavras-chave


Processo seletivo; negligência; custo; funcionários; empresas

Texto completo:

PDF

Referências


-BARBOSA, Nisce. Gestão de Pessoas. Disponível em: . Acesso em 27 de Abril de 2016.

-BRANDENBERG, Denise. Os efeitos de um falho sistema de recrutamento ou seleção. Disponível em: . Acesso em: 15 de Abril 2016.

-BAZZOLA, Celso. No alvo certo: Os principais cuidados para fazer uma contratação correta. Melhor gestão de pessoas. São Paulo. nº 331. p. 12-13, jul. 2016.

-CHIAVENATO, Idalberto. Recursos Humanos: O Capital Humano das Organizações. 8 ed. São Paulo, 2004.

-GIL, A. C. Gestão de Pessoas: Enfoque nos papeis profissionais. São Paulo: Atlas, 2001

-MARRAS, Pierre. Administração de Recursos Humanos: Do operacional ao estratégico. 12 ed. São Paulo, 2007

-MOCSÁNYI, Dino. Consultoria Empresarial: Métodos e cases dos campeões. São Paulo, 2013.

-PASTORE, José. A batalha dos encargos sociais. Folha de S. Paulo, São Paulo, 28 fev. 1996.

-SEBRAE. Critérios de classificação de empresas: MEI – ME e EPP. Disponível em: . Acesso em: 15 de Abril de 2016.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.