Breve Comunicação Interdisciplinar:
Ausência de infecção bacteriana em recém nascidos pré-termo ou a termo em diferentes tempos de ruptura precoce de membrana. PECIBES, 17-21, 2016.

Kelly Lopes de Araújo Appel, Almir de Sousa Martins, Anna Maria Duarte Miglioli, Carmen Silvia Martimbianco de Figueiredo, Paula Cristhina Niz Xavier, Albert Schiaveto de Souza, Walter Peres da Silva Júnior, Rodrigo Juliano Oliveira, Durval Batista Palhares

Resumo


A presente pesquisa investigou a presença de DNA genômico de três bactérias (Streptococcus agalactiae, Escherichia coli e Klebsiella pneumoniae) em sangue de recém-nascidos pré-termo e a termo de mães com ruptura precoce de membrana (RPM). Amostras de sangue de 101 recém-nascidos foram avaliadas e os dados foram comparados com os resultados de hemocultura a partir de prontuários médicos. Os resultados da hemocultura foram negativos para as bactérias analisadas. Não houve associação estatística entre o tempo de RPM e a presença do DNA genômico bacteriano (93,1%). Porém, os sinais clínicos sugerem a associação. A bactéria Escherichia coli foi a mais prevalente (64,3%) seguida da Streptococcus agalactiae (19,8%) e Klebsiella pneumoniae (2,0%). Os achados clínicos e fisiológicos sugere a possível associação entre o tempo de ruptura das membranas, sinais clínicos de sepse e a presença do DNAgenômico de bactérias patogênicas responsáveis pela ocorrência de infecção neonatal em recém-nascidos pré-termo e a termo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.