Breve Comunicação Interdisciplinar:
Presença de Staphylococcus epidermidis em recém-nascidos com infecção grave em UTI neonatal. PECIBES, 22-25, 2016.

Kelly Lopes de Araújo Appel, Reynaldo Bueno Junqueira Reis, Almir de Sousa Martins, Anna Maria Duarte Miglioli, Carmen Silvia Martimbianco de Figueiredo, Paula Cristhina Niz Xavier, Durval Batista Palhares

Resumo


Estudos indicam o Staphylococcus epidermidis como um dos agentes infecciosos mais importantes na infecção hospitalar (IN), cuja incidência ainda é pouco conhecida. O presente estudo teve por objetivo identificar esta bactéria em sangue de recém nascidos (RNs) por meio da reação em cadeia da polimerase convencional (PCR) e em tempo real (qPCR) verificando sua frequência. Foram coletadas 45 amostras de sangue periférico para hemocultura, extração do DNAgenômico e PCR. Ahemocultura foi capaz de detectar Staphylococcus epidermidis em 13,3% das amostras investigadas, enquanto o PCR convencional detectou 17,8% e qPCR 100% de amplicons alvos de Staphylococcus epidermidis em DNAdas amostras positivas pelo método da PCR convencional. Os resultados da qPCR mostraram maior sensibilidade para a detecção de Staphylococcus epidermidis no sangue e deverá ser uma ferramenta fundamental para futuras triagens em estudos epidemiológicos mais amplos na suspeita de sepse neonatal. Os fatores de risco, juntamente com observações clínicas e diagnóstico precoce advindo da PCR poderão contribuir de forma decisiva para o diagnóstico eficiente e terapia medicamentosa específica.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.