Docência em Matemática e o Paradoxo das Múltiplas Identidades: contribuições da filosofia deleuziana

Suelen Assunção Santos, Samuel Edmundo Lopez Bello

Resumo


O presente artigo apresenta o recorte de uma pesquisa perspectivada pela linha teórica das filosofias da diferença e educação que teve por objetivo analisar o movimento da forma, enquanto conceito filosófico,  ‘docência-em-matemática’. Mostra-se, a partir de discursos teóricos da área da Educação Matemática e Formação de Professores, que as identidades docentes atualizadas na contemporaneidade são carregadas por um discurso dual da vida, do mundo e do humano e que herdam das filosofias da representação platônico-aristotélica, muitos de seus pressupostos e significados. Mostra-se que os efeitos das múltiplas identidades se desdobram em desconsiderar a diferença como elemento constitutivo da docência e que, mesmo que haja múltiplas possibilidades identitárias, a docência é construída por assemelhação a um modelo, permanecendo a perspectiva de um falso movimento.

Palavras-chave


Docência em Matemática. Identidade. Diferença. Representação.

Texto completo:

222-243

Referências


BERGSON, Henri. A Evolução Criadora. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2005.

COELHO, Jonas Gonçalves. Ser do tempo em Bergson. Interface – Comunicação, Saúde, Educação, Botucatu, v. 8, n. 15, p. 233-246, mar./ago., 2004. Disponível em: . Acesso em: 03 dez. 2014.

CORAZZA, Sandra Mara. Currículo da Infância e Infância do Currículo: uma questão de imagem. In: PARAÍSO, Marlucy Alves; VILELA, Rita Amélia; SALES, Shirlei Rezende (Orgs.). Desafios contemporâneos sobre currículo e escola básica. Curitiba: CRV, 2012. p. 25-38.

DAMASCENO, Veronica. Notas sobre a individuação intensiva em Simondon e Deleuze. O que nos faz pensar, PUCRIO, n. 21, p. 169-182, maio, 2007. Disponível em: . Acesso em: 12 fev. 2015.

D’AMBRÓSIO, Beatriz S. Conteúdo e metodologia na formação de professores. In: FIORENTINI, Dário; NACARATO, Adair Mendes (Org.). Cultura, formação e desenvolvimento profissional do professor que ensina matemática. São Paulo: Musa Editora, 2005. p. 20-32.

DANTE, Luiz Roberto. Formulação e resolução de problemas de matemática: teoria e prática. São Paulo: Ática, 2009.

DELEUZE, Gilles. A Ilha deserta: e outros textos. São Paulo: Iluminuras, 2006b.

DELEUZE, Gilles. Bergsonismo. São Paulo: Ed. 34, 2012.

DELEUZE, Gilles. Diferença e Repetição. Rio de Janeiro: Graal, 2006a.

DELEUZE, Gilles. Lógica do Sentido. São Paulo: Perspectiva, 2009.

DELEUZE, Gilles. Nietzsche e a filosofia. Rio de Janeiro: Editora Rio, 1976.

ESPINOSA, Alfonso Jiménez; FIORENTINI, Dario. (Re)significação e reciprocidade de saberes e práticas no encontro de professores de matemática da escola e da universidade. In: FIORENTINI, Dário; NACARATO, Adair Mendes (Org.). Cultura, formação e desenvolvimento profissional do professor que ensina matemática. São Paulo: Musa Editora, 2005. p. 152-174.

FIORENTINI, Dario; LORENZATO, Sergio. Investigação em educação matemática: percursos teóricos e metodológicos. Campinas: Autores Associados, 2006.

FORNAZARI, Sandro Kobol. O bergsonismo de Gilles Deleuze. Trans/Form/Ação, Marília, v. 27, n. 2, p. 31-50, 2004. Disponível em: . Acesso em: 02 nov. 2014.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense, 1986.

FOUCAULT, Michel. Isto não é um cachimbo. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

MACHADO, Roberto. Deleuze, a arte e a filosofia. Rio de Janeiro: Zahar, 2010.

NACARATO, Adair Mendes. A escola como lócus de formação e de aprendizagem: possibilidades e riscos da colaboração. In: FIORENTINI, Dário; NACARATO, Adair Mendes (Org.). Cultura, formação e desenvolvimento profissional do professor que ensina matemática. São Paulo: Musa Editora, 2005. p.175-195.

PEREIRA, Nilton M.; BELLO, Samuel Edmundo L.. Pensando as artes de si e a produção da diferença em Michel Foucault. In: MONTEIRO, Silas (Org.) Caderno de notas 2: rastros de escrileituras. Canela: UFRGS, 2011. (Coleção escrileituras).

SANTOS, Suelen A.. Experiências narradas no ciberespaço: um olhar para as formas de se pensar e ser professora que ensina matemática. Porto Alegre: UFRGS, 2009, 291 f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós5Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009. Disponível em: . Acesso em: 5 mar. 2017.

SANTOS, Suelen A.. : do dual ao duplo da docência em matemática. Porto Alegre: UFRGS, 2015, 189 f. Tese (Tese em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

SCHÖPKE, Regina. Dicionário Filosófico: conceitos fundamentais. São Paulo: Martins Fontes, 2010.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica, 1999.

UBERTI, Luciane; BELLO, Samuel E. L. A docência-pesquisa em movimento no PIBID. In: UBERTI, Luciane; BELLO, Samuel Edmundo L. (Org.). Iniciação à Docência: articulações entre ensino e pesquisa. São Leopoldo: Oikos, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License

INDEXADORES

      Resultado de imagem para latindex indexador