Situações de proporção simples: uma análise dos enunciados elaborados por professoras em um processo formativo

Pedro Henrique Milagre, Eurivalda Ribeiro dos Santos Santana

Resumo


Este artigo tem como objetivo analisar a clareza dos enunciados das situações-problema de proporção simples, classe um para muitos, elaboradas por professoras do primeiro ciclo do ensino fundamental, no início e no fim de um processo formativo. O estudo envolveu cinco professoras que atuavam do 1º ao 3º ano do ensino fundamental. Os instrumentos utilizados para a coleta de dados foram: instrumento inicial e final de elaboração de situações-problema e áudios de encontros do processo formativo. Para análise, foram utilizadas categorias e subcategorias que emergiram dos referenciais teóricos e dos dados.  Os resultados indicam que, no início do processo formativo, mais da metade das situações apresentavam ausência de informações.  No fim, houve uma redução das situações com ausência, em especial, naquelas que não especificavam a divisão, o que pode ter relação com as discussões oportunizadas na formação, sobre a importância de estarem claras as informações apresentadas na situação.


Palavras-chave


Educação Matemática. Campo multiplicativo. Anos iniciais do ensino fundamental. Formação continuada

Texto completo:

pdf

Referências


BOGDAN, R. C.; BIKLEN, S. K. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Tradução por Maria João Alvarez, Sara Bahia dos Santos e Telmo Mourinho Baptista. Porto: Porto Editora, 1994. 335 p.

BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria da Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Fundamental – Matemática, v.3. Brasília: MEC, 1997.

CHICA, C. H. Por que Formular Problemas? In: SMOLE, K. S; DINIZ, M. I. (Org.). Ler, escrever e resolver problemas: habilidades básicas para aprender matemática. Porto Alegre: Artmed, 2001. p. 151-173.

DINIZ, M. I. Os Problemas Convencionais nos Livros Didáticos. In: SMOLE, K. S; DINIZ, M. I.(Org.). Ler, escrever e resolver problemas: habilidades básicas para aprender matemática. Porto Alegre: Artmed, 2001. p. 99-101.

FONSECA, M. C.; CARDOSO, C. A. Educação matemática e letramento: textos para ensinar matemática, matemática para ler textos. In: Nacarato, A. M.; Lopes, C. E. (Org.). Escritas e leituras na educação matemática. Belo Horizonte: Autêntica, 2009, p. 63-76.

GITIRANA, V; CAMPOS, T. M. M.; MAGINA, S; SPNILLO, A. Repensando multiplicação e divisão: contribuições da teoria dos campos conceituais. São Paulo: PROEM, 2014.

LIMA, D. C. A formação continuada de professores que ensinam matemática nos anos iniciais e as estruturas multiplicativas. 2016. 161 f. Dissertação (Mestrado) - Pós-Graduação em Educação Matemática, Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus. 2016.

MAGINA, S.; MERLINI, V.; SANTOS, A. A estrutura multiplicativa sob a ótica da teoria dos campos conceituais: uma visão do ponto de vista da aprendizagem. In: 3º SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, v. 1. p. 1-12, 2012.

MAGINA, S.; SANTOS, A MERLINI, V. O raciocínio de estudantes do ensino fundamental na resolução de situações das estruturas multiplicativas. Ciência & Educação, Bauru, v. 20, n. 2, p. 517-533, 2014. Disponível em: . Acesso em: 6 nov. 2015.

SANTOS, A. Formação de professores e as estruturas multiplicativas: reflexões teóricas e práticas. 1 ed. Curitiba: Appris, 2015.

SMOLE, K. S. Textos em matemática: Por que não? In: SMOLE, K. S; DINIZ, M. I.(Org.). Ler, escrever e resolver problemas: habilidades básicas para aprender matemática. Porto Alegre: Artmed, 2001. p. 29-68.

SMOLE, K. S; DINIZ, M. I. Ler e Aprender Matemática. In: _______ (Org.). Ler, escrever e resolver problemas: habilidades básicas para aprender matemática. Porto Alegre: Artmed, 2001. p. 69-86.

SOUZA, E. I. R. Estruturas multiplicativas: concepção de professor do ensino fundamental. 2015. 109 f. Dissertação (Mestrado) - Pós-Graduação em Educação Matemática, Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus. 2015.

SOUZA, M. A. V. F. de; SOUZA, S. F. Enunciados verbais de problemas de matemática e representações mentais: uma discussão. Educação & Linguagem, v. 19, 2016, p. 205-221.

VERGNAUD, G. Multiplicative Structures. Em R. Lesh & M. Landau (Eds.). Acquisitions of mathematics concepts and procedures. New York: Academic Press, 1983, p.127-174.

________. A Teoria dos Campos Conceituais. In: BRUN, J. Didáctica das matemáticas. Tradução: Maria José Figueiredo. Lisboa: Instituto Piaget, 1996. P. 155-191.

________. O que é aprender? In: BITTAR, M; MUNIZ, C. A. (Org.). A aprendizagem matemática na perspectiva da teoria dos campos conceituais. Curitiba: Editora CRV, 2009. p. 13-36.

________. A criança, a matemática e a realidade: problemas do ensino da matemática na escola elementar. Tradução de: MORO, Maria Lúcia Faria. Edição revisada. Curitiba: Editora da UFPR, 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License

INDEXADORES

      Resultado de imagem para latindex indexador