Educação Matemática Inclusiva e Pibid: compreensões de um trabalho desenvolvido em uma escola inclusiva

Vanessa de Paula Cintra

Resumo


Neste trabalho, buscamos analisar que compreensões podem ser produzidas a partir de um trabalho desenvolvido por um grupo participante do Programa de Iniciação à Docência de uma Universidade Pública, ao desenvolver atividades de intervenções em uma escola inclusiva, que atende alunos surdos e ouvintes. Apresentamos no texto algumas dessas atividades, discutimos os impactos na formação inicial dos futuros professores de Matemática que participaram das intervenções, bem como as influências dessas atividades no aprendizado dos alunos da escola. Compreendemos que o trabalho viabilizou estratégias para ensinar Matemática para alunos surdos e ouvintes, valorizando o visual, facilitando a interpretação e a comunicação entre os pares, e a inserção dos futuros professores na escola inclusiva promoveu a eles novos conhecimentos sobre a docência, mobilizando seus saberes de maneira reflexiva e auxiliando-os na compreensão de situações complexas de ensinar e aprender para a diversidade, desenvolvendo uma atitude crítica em relação às diferenças.


Palavras-chave


Inclusão. Surdez. Comunicação Visual. Formação Inicial

Texto completo:

pdf

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.

______. Ministério da Educação. Diretrizes Nacionais para a educação especial na educação básica. Secretaria de Educação Especial. Brasília, 2001. Disponível em . Acesso em: nov. 2018.

______. Resolução nº 2, de 1 de julho de 2015. Diretrizes Cur¬riculares Nacionais para a formação inicial em nível superior (cur¬sos de licenciatura, cursos de formação pedagógica para graduados e cursos de segunda licenciatura) e para a formação continuada. Brasília: MEC/CNE, 2015.

BORGES, F. A.; NOGUEIRA, C. M. I. Saberes docentes e o ensino de matemática para surdos: desencadeando discussões. In: ROSA, F. M. C. da; BARALDI, I. M. (Org.). Educação matemática inclusiva: estudos e percepções. 1. ed. Campinas, SP: Editora Mercado de Letras, 2018. p. 37-62.

CINTRA, V. P. Trabalho com projetos na formação inicial de professores de Matemática na perspectiva da educação inclusiva. 2014. 137 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2014.

CINTRA, V. P.; PENTEADO, M. G. Educação Matemática e Inclusão em cursos de licenciatura: o caso de uma abordagem via trabalho com projetos. In: ROSA, F. M. C. da; BARALDI, I. M. (Org.). Educação matemática inclusiva: estudos e percepções. 1. ed. Campinas, SP: Editora Mercado de Letras, 2018. p. 63-80.

KALEFF, A. M. M. R.; ROSA, F. M. C. A necessidade da discussão de temas relacionados à educação inclusiva em disciplinas da formação de professores: ações realizadas em um laboratório de ensino de geometria. In: ROSA, F. M. C. da; BARALDI, I. M. (Org.). Educação matemática inclusiva: estudos e percepções. 1. ed. Campinas, SP: Editora Mercado de Letras, 2018. p. 99-118.

LUDKE, H. A.; ANDRÉ, M. E. D. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986. 99 p.

NUNES, T.; EVANS, D.; BARROS, R.; BURMAN, D. Promovendo o sucesso das crianças surdas em Matemática: uma intervenção precoce. Anais da Conferência Interamericana de Educação Matemática, 13, Recife, 2011.

PARIZZI, R. A.; REALI, A. M. R. Práticas pedagógicas do professor de educação especial: Desafios impostos pela diversidade. In: MIZUKAMI, M. G.; REALI, A. M. R. (Org.). Aprendizagem profissional da docência: saberes, contextos e práticas. São Carlos, SP: EDUFSCAR/INEP, 2010. p. 71-90.

ROSA, F. M. C. da; BARALDI, I. M. Apresentação. In: ROSA, F. M. C. da; BARALDI, I. M. (Org.). Educação matemática inclusiva: estudos e percepções. 1. ed. Campinas, SP: Editora Mercado de Letras, 2018. p. 11-16.

SALES, E. R. A visualização no ensino de matemática: uma experiência com alunos surdos. 2013. 235 f. Tese (Doutorado em Educação Matemática) – Programa de Pós-Graduação em Educação Matemática, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2013.

______. Refletir no silêncio: um estudo das aprendizagens na resolução de problemas aditivos com alunos surdos e pesquisadores ouvintes. 2008. 162 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas) – Núcleo Pedagógico de Apoio ao Desenvolvimento Científico, Universidade Federal do Pará, Belém, 2008.

UNESCO. Declaração de Salamanca: sobre princípios, políticas e práticas, na área das necessidades educativas especiais, Brasília, 1994. Disponível em:

. Acesso em: out. 2018

ZEICHNER, K. Repensando as conexões entre formação na universidade e as experiências de campo na formação de professores em faculdades e universidades. Educação, Santa Maria, v. 35, n. 3, p. 479-504, set./dez. 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License

INDEXADORES

      Resultado de imagem para latindex indexador