A Formação de Professores de Matemática frente à Aprendizagem Ativa Significativa e à Inclusão do Aluno com Deficiência Visual

Ana Maria Kaleff

Resumo


Desde meados da década de 1990, os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) e atualmente a recente Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para o Ensino Fundamental, apontam, no campo da Educação Matemática, para a importância de que o futuro professor possa, desde o início de sua formação, vivenciar práticas ativas em laboratórios de ensino com recursos didáticos concretos e conteúdos digitais. Bem como, a aquisição de conceitos, técnicas, competências e processos matemáticos devem ser decorrentes principalmente de atividades ligadas à resolução de situações-problema significativas para o aluno. Apresentamos ações advindas dessas orientações, nas quais a aprendizagem ativa significativa ocorre por meio do envolvimento dinâmico do futuro professor em busca da inclusão de alunos com deficiência visual em um contexto escolar regular. Tudo isso, associado ao desenvolvimento de recursos didáticos inclusivos para a sala de aula e a um museu interativo de matemática.


Palavras-chave


Formação de Professores. Educação Matemática. Aprendizagem Ativa Significativa. Inclusão. Deficiência Visual

Texto completo:

pdf

Referências


BAIRRAL, Marcelo. A.; SILVA, Marco A. Instrumentação do ensino de Geometria - Módulo 1. Rio de Janeiro: Fundação CECIERJ. 2004.

BARTOLINI BUSSI, M. G.; MARIOTTI, M. A. Semiotic mediation in the mathematics classroom: artifacts and signs after a Vygotskian perspective. In: ENGLISH. L et al (Eds.) Handbook of International Research in Mathematics Education. 2. Ed. Mahwah: Lawrence Erlbaum, 2008, p. 746-783.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Terceiro e Quarto Ciclos do Ensino Fundamental: Matemática (5ª a 8ª séries). Brasília: MEC/SEF. 1998.

BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. Portaria n° 3284, de 7 de novembro de 2003. Brasília, 2003.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular - Ensino Fundamental. 2017. Disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/nPFB7y5Zm9B9dWWetPTDyTpMhf6hZTTNAeMxKsM5AemMSeFy9RYf3JkAv7sw/bncc-documento-final.pdf. Acesso em 03 de nov. 2018.

DYSMAN, Anne Michelle; KALEFF, Ana Maria M. R. Parceria entre Universidade e Escola em Prol de uma Docência mais Criativa. Encontro Brasiliense de Educação Matemática, 5. 2011, Brasília. Anais... Brasília: Sociedade Brasiliense de Educação Matemática. v.2, 2011. p. 47-63.

HERSHKOWITZ, R. ET AL Aspectos psicológicos de aprendizagem da Geometria. Boletim- GEPEM, Rio de Janeiro. n 32. 1994. p. 03 - 31.

MORAN, José. Metodologias ativas para aprendizagem mais profunda. In: BACICH, Lilian; MORAN, José Metodologias ativas para uma educação inovadora. Porto Alegre: Penso. 2018, cap.1, p. 1-16.

ONU. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência. 2006. Disponível em: . Acesso em: 20 out. 2018.

ROSA, Fernanda Malinosky Coelho da. Professores de Matemática e a Educação Inclusiva: análises de memoriais de formação. 2013. 182f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática) – Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” – Unesp, Rio Claro/SP, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License

INDEXADORES

      Resultado de imagem para latindex indexador