APLICAÇÃO DE BIOMATERIAIS EM ORTOPEDIA E ENGENHARIA DE TECIDO ÓSSEO

Viviane Viana Silva

Resumo


Biomateriais vêm sendo amplamente estudados para o desenvolvimento de dispositivos biomédicos voltados para aplicações em ortopedia convencional e engenharia de tecido ósseo não só por apresentarem características físico-químicas e estruturais adequadas, mas também por exibirem comportamento biológico compatível e aceitável pelo sistema vivo hospedeiro. Na área da ortopedia, existem diversos tipos de dispositivos ortopédicos tais como placas, pinos, parafusos e próteses. Esses dispositivos são geralmente produzidos em metais puros, ou combinados com cerâmicos e polímeros, e podem ser utilizados para fixação de fratura óssea ou para substituição de tecidos duros. Embora o mercado de dispositivos ortopédicos esteja bem consolidado, a busca por novos materiais destinados a implantes e próteses ortopédicas vem expandindo significativamente, uma vez que os produtos disponíveis à população ainda apresentam falhas decorrentes da deficiente resistência mecânica e elevado módulo de elasticidade em comparação ao osso, aliados a problemas decorrentes de corrosão fisiológica e reduzida biocompatibilidade e biofuncionalidade. A engenharia de tecidos, por sua vez, tem se destacado como uma estratégia alternativa inovadora para o reparo e regeneração de tecido ósseo danificado mediante a utilização de materiais biocompatíveis, que sob a configuração de estruturas tridimensionais ou arcabouços (scaffolds) sejam capazes de suportar células osteopotentes e fatores tróficos osteogênicos. Neste trabalho são abordados aspectos relevantes relacionados às características, propriedades e comportamento de diferentes tipos de biomateriais para aplicações como dispositivos ortopédicos e estruturas tridimensionais biofuncionais para regeneração de tecido ósseo.  


Palavras-chave


Biomaterial. Implantes. Próteses. Engenharia de tecido ósseo

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.